Cajuzinho-do-cerrado

O pseudofruto que colore os campos

Cajuzinho_Michael_Becker .JPG

Também chamado de cajuí, o cajuzinho-do-Cerrado tem polpa de sabor marcante. Foto: Michael Becker

Sobre o fruto

O cajuzinho-do-cerrado (Anacardium humile), também conhecido como cajuzinho-do-campo ou cajuí, é uma planta em forma de arbustos encontrada nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e no Distrito Federal. O arbusto costuma habitar o Cerradão, o Cerrado, o Campo Sujo e o Campo Rupestre.

 

A coleta de cajuzinho-do-cerrado também garante renda a agricultores familiares do Cerrado, através do extrativismo e comercialização do fruto. Atualmente, existem diversas técnicas de processamento e aproveitamento integral do fruto.

O cajuzinho-do-cerrado é um pseudofruto, já que seu fruto verdadeiro é a castanha. É pequeno, bem menor que o caju tradicional, de sabor ácido e suculento. Suas cores variam entre amarelo e vermelho. Geralmente o fruto pesa entre 5g e 12g, possuindo uma semente por fruto.

O cajuí é consumido in natura ou processado. O fruto pode ser utilizado na preparação de sucos, bebidas e doces. Também pode servir de ingrediente na produção de fermentados como vinho, vinagre, compotas, passas de caju, geleias, sorvetes, entre outros. Quando fermentados, seus pequenos frutos fornecem uma espécie de aguardente conhecida pelos índios como cauim. Com o fruto verdadeiro, são produzidas as amêndoas ou castanhas, também utilizadas em variadas receitas.

Toda a planta do cajuzinho-do-cerrado é empregada na medicina popular. A infusão de suas folhas e da casca do caule subterrâneo é utilizada para curar diarreias. O óleo encontrado na castanha tem ação antisséptica e cicatrizante. A infusão das inflorescências é utilizada para combater a tosse e baixar o nível de glicose em diabéticos.

O pedúnculo do cajuzinho do Cerrado é rico em vitamina C, fibras e compostos antioxidantes. As castanhas são consumidas em forma de amêndoas, da mesma forma que o caju comum, e são ricas em vitaminas B1 e B2, proteínas, lipídios, niacina, fósforo e ferro.

O cajuí é uma planta mais selvagem, que gosta de nascer espontaneamente. A árvore possui em média 2,75m de altura, mas pode variar entre 0,90m e 7,60m de altura. Apresenta tronco médio (até 30cm) retorcido, uma copa média-grande, pouco ramificada. Para resistir às secas prolongadas, o caule subterrâneo tem a particularidade de armazenar água.

A planta floresce entre os meses de setembro e outubro, dando frutos em novembro. Alguns animais se alimentam do cajuí, caso da raposa do campo, que ajuda a dispersar as sementes.

• Cerratinga

• Slow Food Brasil

Propaga UNB

NOSSOS CANAIS

    SES, Quadra 14, Lote 03

    Setor Econômico de Sobradinho

    Brasília/DF

    CEP 73.020-414

    Tel: +55 (61) 3327-8489

    Whatsapp: +55 61 98262-0001

    centraldocerrado@centraldocerrado.org.br

    Mercado Municipal de Pinheiros, box 28

    Rua Pedro Cristi 89

    Pinheiros São Paulo/SP

    CEP 05.421-040

    Tel: +55 (11) 3530-6489

    pinheiros@centraldocerrado.org.br

Parceria:

CENTRAL DO CERRADO

• SÃO PAULO

CENTRAL DO CERRADO

• BRASÍLIA

Cooperativa Central do Cerrado LTDA - CNPJ: 12.473.840/0001-50 - Entregas em até 10 dias úteis 

© 2020 by Cajuí Comunicação Digital