Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

09.04.08

Pequi – Caryocar brasiliense Camb.

por

Nomes populares: pequi, piqui, grão-de-cavalo, amêndoa-de-espinho, piquiá-bravo, pequiá, pequiá-pedra, pequerim, suari e piquiá. Nome científico: Caryocar brasiliense Camb.

Pequizeiro jovem com frutos

O pequizeiro é uma planta típica do Cerrado, que consiste num bioma de grande variedade de sistemas ecológicos, tipos de solo, clima, relevo e altitude, e com uma vegetação caracterizada por coberturas rasteiras, arbustos, árvores esparsas e tortuosas, de casca grossa, folhas largas e raízes profundas, formando desde paisagens campestres a florestas.

flor_de_pequi.jpg

Com uma vida útil estimada de aproximadamente 50 anos, o pequizeiro atinge até 10 m de altura. Sua fase reprodutiva inicia-se a partir do oitavo ano, com floração ocorrendo normalmente entre os meses de setembro a novembro.

A frutificação acontece de outubro a fevereiro, produzindo frutos por 20 a 40 dias em média, com produção variável podendo chegar a 1000 frutos por pé.

Calendário de Frutificação

calendario-frutificação-pequi

O fruto do pequizeiro apresenta gosto inconfundível tendo seu nome ligado às suas características botânicas, e etimologicamente ligado à língua tupi: py = casca e qui = espinho (Simões, 2005).

Contém normalmente entre 1 a 4 caroços, cientificamente chamados de putâmens. No Norte de Minas Gerais já foram encontrados frutos contendo até 7 caroços.

O caroço é composto por um endocarpo lenhoso com inúmeros espinhos, contendo internamente a semente, ou castanha, e envolto por uma polpa de coloração amarela intensa, carnosa e com alto teor de óleo.

Pequis no péPequi com caroçosAnatomia de um caroço de pequi

Características Físicas do Pequi
Parâmetros média
Peso por fruto (g) 76,41
Peso de caroço por fruto (g) 30,75
Peso de polpa por fruto (g) 7,41
Peso das sementes por fruto (g) 22,87
Diâmetro longitudinal (mm) 32,17
Diâmetro equatorial (mm) 41,16
Rendimento de polpa (%) 8,98
Rendimento de caroço (%) 28,81
Rendimento em casca (%) 61,66

Características Químicas da polpa do Pequi
Parâmetros Quantidade por porção de 100 g de polpa
Umidade (%) 50,61
Proteinas (%) 4,97
Gordura (%) 21,76
Cinza (%) 1,1
Fibra (%) 12,61
Carboidratos (%) 8,95
Calorias Kcal/100g 251,47
Cálcio (mg/100g) 0,1
Fósforo (mg/100g) 0,1
Sódio (mg/100g) 9,17
Vitamina C (mg/100g) 103,15

Fonte:
Relatório Institucional – Núcleo de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Minas Gerais, Montes Claros, 2003.

Uma das maiores virtudes do Cerrado brasileiro é a diversidade biológica deste bioma, representado por uma série de espécies vegetais que produzem frutos utilizados na alimentação humana, podendo-se destacar o pequi. Espécies medicinais e outras plantas úteis vêm sendo largamente utilizadas no cotidiano da população local, constituindo uma reserva farmacológica, nutricional e utilitária de riqueza inigualável para os povos das regiões ocupadas pelo Cerrado (Simões, 2005).

Assim como numerosos e exuberantes estames em sua flor, múltiplos são as formas de uso e significado do pequi para esses povos.

Elemento de base da cultura alimentar de várias regiões brasileiras, o fruto do pequi, compõe receitas tradicionais, como o Arroz com Pequi, Galinhada, alguns doces, licores, sorvetes, caracterizando fortemente, junto a outras especiarias, o bouquet de sabores das culinárias regionais aonde ele se encontra.

Popularmente, seu uso fitoterápico é apontado em diversos tratamentos, pelo uso do seu óleo, flores e folhas.

Extrativismo

Ao associar a coleta do pequi a uma atividade produtiva em cadeia, com expansão do consumo além do uso próprio ou familiar, origina-se também um problema de desequilíbrio ecológico, principalmente relacionado ao ciclo de reprodução do pequizeiro e dos ecossistemas circunvizinhos à planta e à área de coleta.

O pequizeiro, gera seus frutos – e conseqüentemente suas sementes – em número suficiente e necessário para que suas características genéticas sejam prospectadas naturalmente em seu meio, e aonde mais essas sementes alcançarem.

A coleta indiscriminada dos frutos, sem controle da quantidade coletada, ou da forma como isso é feito, afeta diretamente a produtividade e a diversidade natural da população de pequizeiros presentes numa certa região, além de prejudicar a relação destas árvores com insetos, animais maiores, plantas, e outras formas de vida que com as quais elas interagem diretamente, causando um desequilíbrio ambiental em maior escala.

Algumas recomendações de boas práticas de coleta do pequi são:

  • Não derrubar o fruto da árvore, muito menos utilizar varas ou qualquer outro instrumento para isso;
  • Coletar somente os frutos caídos naturalmente. Estes, sim, estão no ponto de consumo;
  • Não devastar a cobertura vegetal debaixo e ao redor da planta; existem outros seres em convivência natural com ela, que dependem dessa cobertura;
  • Coletar frutos sadios, e deixar os frutos rachados ou abertos como reserva natural, para reprodução da planta e alimentação animal; se houver somente frutos sadios, deixe assim mesmo uma certa quantidade de reserva. A recompensa futura será muito maior;
  • Somente leve os frutos. Não deixe nada que não pertença ao ambiente, como sacos plásticos não utilizados e outros tipos de lixo.

USO E APROVEITAMENTO AGROINDUSTRIAL DO PEQUI

Não obstante os problemas causados pelo extrativismo descontrolado, o avanço da fronteira agrícola no Cerrado, sob a forma de expansão de grandes lavouras monoculturais, como a soja, e a instalação, sobretudo no cerrado mineiro e baiano, de fazendas de reflorestamento de eucalipto, têm sido, numa escala escandalosamente maior, as principais ameaças ao estoque natural do pequizeiro e a toda a biodiversidade do bioma, sua água, seu solo e os povos que dele sobrevivem.

O aproveitamento do pequi sob a forma de seu processamento agroindustrial tem aberto perspectivas cada vez mais amplas e promissoras de atividade e agregação de renda por parte de agricultores familiares e extrativistas em regiões distintas do cerrado brasileiro, num esforço contínuo de preservação ambiental associado ao uso racional dos recursos naturais, espelhando as lutas contra os efeitos degradantes citados anteriormente.

Organizados por meio de associações, cooperativas e microempresas, eles têm buscado, com o apoio de organizações civis e de governos, aprimorar estruturas de produção, tecnologias e processos de beneficiamento, com um perfil mais apropriado à sua escala de investimentos, disponibilidade de matéria-prima e outros recursos naturais, e com foco na sustentabilidade ambiental.

Dentre processos tradicionais e novas tecnologias e produtos que se encontram em desenvolvimento no país, a tabela a seguir apresenta alguns usos e aproveitamentos possíveis que se podem dar ao pequi:

aproveitamento_pequi


22 Comentários Adicione seu comentário

  • 1. MAYARA  |  30.04.08 às 10:15

    OBRIGADO POR RESPONDER MINHAS PERGUNTAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 2. JOSÉ RAIMUNDO ALVES  |  01.05.08 às 10:50

    Olá bom dia.
    Moro na cidade de Bragança Paulista SP
    Gostaria de saber onde posso encontrar PEQUI em
    conserva, aqui em minha regiâo.
    Se possivel passem o e-mail ou telefone de um
    revendedor.
    Desde já agradeço,atençâo.
    José Tel: 11 4033-0412

  • 3. ODAIR GABILON XAVIER  |  08.05.08 às 17:44

    BOA TARDE…
    SOU ACADEMICO DO CURSO DE AGRONOMIA, TENHO UM PROJETO SOBRE A QUEBRA DE DORMENCIA DA SEMENTE DO PEQUI. ESSE PROJETO É PARA O MEU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, MAS TO COM DIFICULDADE PARA CONSEGUIR MATERIAL BIBLIOGRAFICO, SE VOCES PUDEREM ME AJUDAR OU INDICAR LIVROS SOBRE O ASSUNTO. AGRADEÇO..

  • 4. paulo lobo  |  12.06.08 às 16:39

    Tenho um pequena propriedade e gostaria de implementar algum projeto que, mesmo no futuro, me ajudasse a custear as despesas com a propriedade.Para tanto pensei em adquirir mudas de baru e formar uma plantação desta planta, gostaria portanto de obter informções sobre aquisição de mudas, tempo de produção da planta, mercado e outras informações.
    Serei muito grato quando respondido.
    Obrigado

  • 5. Nicole Fernada  |  24.06.08 às 19:32

    Oii!
    Eu estou fazendo um projeto que flaa sobre as utilidades do pequi.
    E estou utilizando somente o óleo e percebi que cm ele pode-se realizar expectoranti, sabão e creme contra rugas! pois foi encontrado no óleo do pequi 1 substância que é a amêndoa (e ela ajuda no rejuvenecimanto da pele)!
    Só que acho pouca coisa flaando do uso do pequi em cosmeticos..Queria que você me me mandasse alguns site que flaasse do assunto!
    Me mandaaa Por favor!

    Muito obrigada!

  • 6. João Martins Neto  |  07.07.08 às 17:39

    Gostaria de presentear um amigo com um pé de pequi e asssim gostaria de saber onde comprar.
    Moro em Goiânia .

  • 7. KATALIN CARRARA GEÖCZE  |  14.07.08 às 16:16

    Gostaria, com urgência, de adquirir (comprar) o livro de Ricardo Ferreira Ribeiro: “Pequi, o Rei do Cerrado: Roendo o Fruto Seretanejo por todos os Lados”. Como faço? Obrigada, desde já.

  • 8. Adelicio  |  09.08.08 às 20:33

    Olá Moro em sâo Paulo, e gostaria de saber se existe aqui na capital algum local que venda o pequi em conserva,

    Se alguem souber por favor me informe meu email
    adelicio_01@hotmail.com

    Obrigado

  • 9. luis carlos borsuk  |  31.12.11 às 12:16

    parabéns pela matéria
    Pequi
    planta de grande valor
    não deixar que se percam seus usos e costumes.
    Imagino que for somado o que dá pra obter numa mistura de: pequi + baru + pupunha + macaúba + + + + e comparar isso com soja ….
    não temos a justa medida do potencial da nossa biodiversidade

    valeu

  • 10. ivano pires de sousa  |  04.03.12 às 10:25

    sou de minas novas mg e moro em caçapava sp, na minha casa não fauta o pequí pois meu pai me manda sempre o óleo e na época do fruto ele me mando aí eu congelo e vou consumindo aos poucos pois só eu como, minha família acha horrível, consumo o óleo todos os dias é uma delícia. obrigado. 012-81831329

  • 11. SERGIO AIRES  |  25.03.12 às 21:53

    Como adquirir óleo de pequi para tratar um esporão calcaneo que descobri ontem?

    Sou funcionário do BB – agência Pilar(PB).
    Meu telefone é 83-8831.8733.

    Aguardo seu contato.

    Grato.

    Sergio Aires

  • 12. Benilde da silva  |  08.06.12 às 15:58

    Vc vai encontrar em Barreiras-ba, na feira livre de lá vende, digo porque tive lá em dezembro e encontrei na feira. Seria interessante vc entrar em contato com algum colega do BBrasil e pedir pra eles enviarem pra vc.
    Espero ter ajudado.
    Um abraço.

  • 13. OSEIAS DE SOUSA OLIVEIRA  |  01.08.12 às 16:21

    QUERO COMPRA SEMENTES DE PIQUI E SABER COMO FAZ PRA BROTAR

  • 14. francisco muniz  |  19.10.12 às 08:03

    quero saber se a raiz do pe de piqui e de tamanho grande plantei umpertode um poço artesiano pode afetar o poço sua raiz

  • 15. mara  |  22.11.12 às 00:29

    otimas, informações muito bom o fluxugrama ,,

  • 16. JANAINA MOREIRA GOMES  |  04.01.13 às 14:03

    QUAL A QUANTIDADE DE CARBOIDRATO DE UM PEQUI?

  • 17. Luiz Antonio  |  04.01.13 às 20:13

    Onde conseguir para comprar mudas de pequi com altura de 50 a 60 cm em grande quantidade
    Aguardo retorno
    Obrigado

  • 18. fila da puta  |  26.04.13 às 15:37

    obrigado me ajudou muito bando de fila da puta

  • 19. Dael  |  23.02.16 às 14:00

    qual especie de abelha nativa faz a polinizaçao da flor de pequi?

  • 20. Anônimo  |  23.10.16 às 15:11

    Plantei um carro o de pequi , nasceu e cresceu está com mais ou menos 8anos e ainda não de o frutos

  • 21. manoel  |  27.10.16 às 18:13

    Eu comprei mudas de pequi e plantei em anos seguidos.
    As mais velhas já estão completando seis anos e já tenho alguns pes florando. Tenho também pés com quatro anos iniciando a floração.

  • 22. teilor  |  14.06.17 às 15:56

    que bostaaaaaaaaaa ass: bruno junor de aquidauana namorada da luana na escola marechal deodoro da fonseca E VAI TOMA NOCUUUU

Deixe um Comentário

   

    (não aparecerá no site)

Acompanhe os comentários via RSS Feed

Próximo Texto:
Texto Anterior:

Loja Virtual

loja_central
Coquetéis e Lanches

Páginas
Categorias
Parceiros
RSS Slow Food Brasil
Apoio

PPP
GEFSGPPNUD
UEISPN
FBB
Mídias Sociais

Curta a Página
da Central do Cerrado
no Facebook:

.
.


.
.

Como fazer parte
do Slow Food

casa_central
Central do Cerrado – Produtos Ecossociais. Visitas: Entrar

(61) 3327-8489

centraldocerrado@centraldocerrado.org.br