Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

O grande Jatobá! - Produtos Ecossociais

Jatobá

JATOBÁ (Hymenaea courbaril)

Ocorrência

Do Piauí até o norte do Paraná.

Outros nomes

Jitaí, jutaí, jutaí açú, jatobeiro, jatobá mirim, jataí, jataí peba, jataí amarelo, jataí vermelho, jataíba, burandã, farinheira, burandã imbiúva, jatobá miúdo, jatobá da catinga.

Características

Espécie semidecídua, com 15 a 20 m de altura, e tronco com até 1 m de diâmetro, retilíneo com casca castanha-acinzentada e lisa. Folhas compostas, alternas, elípticas a ovais pergaminosas a coriáceas de 2 folíolos brilhantes de 6 a 14 cm de comprimento.

Apresenta inflorescência (cima) terminal com várias flores de coloração branca. Possui fruto (legume) oblongo, castanho , indeiscente, com cerca de l0 cm de comprimento, com 3 a 8 sementes envoltas numa polpa amarelo-pálida, farinácea, doce e comestível.

Habitat

Cerrado e cerradão

Propagação

Sementes

Madeira

Vermelha-escura, muito pesada, dura, difícil de ser trabalhada e altamente resistente ao apodrecimento.

Utilidade

O fruto é consumido “in natura” e sua polpa é aproveitada para fazer farinha. Apresenta uso medicinal, sua resina e entrecasca é usada para problemas respiratórios.

A madeira pode ser u sada na confecção de móveis, peças torneadas, engenhos, tonéis, carroçerias e vagões; na construção civil como vigas, caibros, assoalhos e esquadrias.

Pelo ferimento de seu tronco fornece uma resina conhecida como “jutaicica” ou “copal” empregada na indústria de vernizes.

Sua casca fornece corante amarelo. Sua resina, folhas e sementes são utilizadas na medicina caseira. A polpa das sementes é rica em cálcio e magnésio e além de fornecer alimento a fauna, é ótima para alimentação humana.

Seus frutos são comercializados em feiras regionais de todas as regiões onde ocorre esta planta.

Florescimento

Outubro a dezembro

Frutificação

Julho a janeiro

Fonte: www.vivaterra.org.br

Jatobá

Jatobá

Jatobá – Hymenaea courbaril L. Caesalpiniaceae

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA

Ocorre desde a América Central, estendendo-se largamente pela Amazônia e chegando até S. Paulo. Também nas Guianas, Suriname, Venezuela, Colômbia, An-tilhas e Bolívia. Habita as matas de terra firme e mais raramente no campo e nas capoeiras, onde os indivíduos são relativamente menores.

DENOMINAÇÕES VULGARES

Jatobá, jutaí-açú, cataquí-iamani, j. grande, jataí, jataizinho, jataí-açú, jataíba, jataí grande, jataí-peba, jataí-uva, Jatioba, jatobá de anta, j. de porco, j. roxo, j. trapuca, j. verdadei-ro, jatubá, ju-taí café, j. mirim, j. pororoca, j. roxo, yatayba, árvore copal, copal, c. americano, c. do Brasil, courbaril.

CARACTERÍSTICAS GERAIS DA ÁRVORE

Árvore de grande porte, alcançando até 25 metros de altura, tronco grosso, de 1,0 m de diâmetro, reto, cilíndrico, casca acinzentada, lisa, exudando resina.

Copa frondosa. Folhas alternas, compostas, 2-folioladas; folíolos mais ou menos falciformes, glabros, lustrosos, base assimétrica, ápice acuminado e margem integra com pequenas glândulas translúcidas. Inflorescên-cia em cimeiras terminais curtas, com flores brancas ou avermelhadas. Fruto, vagem indeiscente, espessa, lenhosa, um pouco comprida ou achatada, castanho-avermelhada, contendo 2-4 (6) sementes envolvidas numa polpa amarelo-pálido, adocicada, farinácea, comestível.

Leu & Langenhelm (1975) reconheceram na espécie, 5 variedades, das quais a var. courbaril é a de distribuição mais ampla. Na Amazônia, além desta ocorre ainda a var. subs.ssilis. As outras são: altlesima (Rio de Janeiro), Iongllolla (Bahia), e estibocarpa (Goiás, Bahia, São Paulo e Paraná).

CARACTERÍSTICAS GERAIS DA MADEIRA

Madeira muito pesada (0,80 a 1,00 g/cm3); alburno bege, bem distinto do cerne avermelhodo a castanho avermelhado, às vezes com manchas escuras; grã direita a irregular; textu-ra média a grosseira; cheiro e gosto imperceptíveis. Segundo a literatura é fácil de serrar, moderadamente difícil de aplainar e difícil de pregar e aparafusar. Apresenta comportamento bom na confecção de peças torneadas, recebendo acabamen-to agradável. É altamente resistente a cupins e moderadamente resistente a fungos.

DESCRIÇÃO ANATÔMICA MACROSCÓPICA

Poros visíveis a olho nu, poucos, médios e grandes, solitários e múltiplos de 2 e 3; vazios ou obstruídos. Linhas vasculares bem distintas, longas, retilíneas, de conteúdo escuro. Raios numerosos, notados a olho desarmado; no plano tangencial são baixos, dispostos de maneira irregular. Parênquima axial visto mesmo sem auxílio de lente, paratraqueal aliforme e também em linhas marginais. Ca-madas de crescimento demar-cadas pelo parênquima marginal.

PRINCIPAIS USOS

Construção civil, carroçaria, postes, to-néis, ebanisteria, dormentes, móveis finos, laminados, esteios, tacos para assoalhos, tanoaria, vigamentos, bengalas, cabos ferra-mentas, arcos de instrumentos musicais, estacas e construção de pianos. marcenaria e acabamento, carpintaria em geral, compensados e faqueados decorativos.

Fonte: www.conhecendoamadeira.co

Loja Virtual

loja_central
Coquetéis e Lanches
casa_central
Central do Cerrado – Produtos Ecossociais. Visitas: Entrar

(61) 3327-8489

centraldocerrado@centraldocerrado.org.br