Central do Cerrado – Produtos Ecossociais

O Bioma Cerrado

mapa_cerrado

O Cerrado brasileiro, considerado atualmente a mais rica savana do mundo em biodiversidade, reúne uma grande variedade de paisagens, um grande número de espécies de plantas e animais. Entre chapadas e vales, com uma vegetação que vai do campo seco às matas de galeria, o Cerrado se estende por uma vastidão de 2 milhões de km2, área equivalente a um quarto do território nacional. Tais dados demonstram que o Cerrado é um bioma rico e globalmente significativo por sua extensão, diversidade ecológica, estoques de carbono e função hidrológica no continente sul-americano, além de sua diversidade sócio-cultural.

Apesar disso, trata-se de um bioma profundamente ameaçado pelo avanço da fronteira agrícola e ainda relegado pelo poder público e organismos internacionais. Hoje, o bioma passa por um avançado processo de descaracterização, suas árvores tortas dando lugar a mares de soja, algodão, cana, eucalipto e pastagens para crescentes rebanhos de gado. O estágio de conservação de áreas de Cerrado é pouco expressivo, enquanto o avanço da fronteira agrícola se dá de forma rápida e desordenada.

Além de ameaça a importante biodiversidade, tal quadro de devastação põe em risco uma região que é o berço das águas das principais bacias hidrográficas brasileiras, além da base de sobrevivência cultural e material de um sem-número de habitantes, comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas, geraizeiros, dentre outros, que têm no uso de seus recursos naturais a fonte de sua subsistência.

Como resposta ao rápido processo de conversão da paisagem do Cerrado em áreas com finalidades agrícolas, os governos e a sociedade brasileira discutem estratégias de conservação. Uma solução clássica tem sido a de criar áreas protegidas, solução que, se tomada de forma isolada, tende a se mostrar insuficiente para manter as funções ecossistêmicas.

Num bioma caracterizado pela presença de comunidades extrativistas, indígenas, quilombolas e de pequenos produtores agroextrativistas, dentre tantas outras que vêm conservando, de forma efetiva, grande áreas naturais por gerações e gerações; é preciso perceber e valorizar a pequena produção familiar e o extrativismo como aliados da conservação e as populações do Cerrado como seus verdadeiros guardiões.

Nas práticas comunitárias são expressos saberes produzidos de forma coletiva, com base na troca de informações e transmitidos de geração em geração que constituem um patrimônio cultural e cientifico de grande relevância e que precisa ser igualmente preservado. Estimular e valorizar o uso sustentável da sociobiodiversidade do Cerrado constitui, portanto, estratégia fundamental

Andréa Lobo – Professora do Departamento de Antropologia da UnB
Donald Sawyer – Professor do Centro de Desenvolvimento Sustentável da UnB

Conheça as publicações do ISPN sobre manejos, boas práticas, tecnologias, gestão, etc.

Conheça mais sobre o Cerrado e seus povos:

ISPN – Instituto Sociedade, População e Natureza

A Casa Verde

Rede Cerrado

Embrapa Cerrados

Rede de Sementes do Cerrado


104 Comentários Adicione seu comentário

Páginas: [11] 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 » Todos Comentários

  • . anne diully&hellip  |  19.02.16 às 12:30

    queria a foto neh
    mais ta ok

  • 1. Dafne&hellip  |  02.02.16 às 21:10

    Gostei daqui. Estou precisando de um colchão ortopédico mas falou que não pode ser muito firme. Alguém aqui já conheceu esse da Colchão Inteligente que apareceu na Ana Maria Braga? http://ocolchaointeligente.com.br

  • 2. michelly&hellip  |  16.04.15 às 18:30

    amei

  • 3. sirlene alves castro&hellip  |  04.04.13 às 20:27

    Agradeço ao site que me ajudou a resolver as questões da escola de minha filha de 11 anos de idade.

Deixe um Comentário

    Obrigatório

    Obrigatório, (não aparecerá no site)

Trackback this post  |  Acompanhe os comentários via RSS Feed


Próximo Texto:
Texto Anterior:

casa_central
Central do Cerrado – Produtos Ecossociais. Visitas: Entrar

(61) 3327-8489

centraldocerrado@centraldocerrado.org.br